O sangue que ferve em amor, luta e esperança

19 abr 2017
Comunicação CI
823
0

Hoje, 19 de abril de 2017, comemoramos o dia do Índio, relacionado a isso, buscamos trazer nessa quarta-feira uma matéria, complementando a que foi feita na segunda-feira sobre as culturas históricas e a divisão entre o oriente e o ocidente, que fale sobre a Cultura do Brasil, atualmente, podemos perceber que a cultura do nosso país está deveras danificada em relação a todas as suspeitas de corrupção que assolam o Brasil, e que atrapalha ou prejudica mais ainda a nossa verdadeira identidade. Acima de qualquer suspeita ou fato consumado, cada um de nossos cidadãos são diferentes, e isso faz com que o nosso povo seja mais precioso, além de todas as outras qualidades que possuem, o simples fato de ser um povo acolhedor, que possui uma cultura única, culinária, costumes, danças e acompanhando isso tudo uma genuína natureza que auxilia mais ainda na preciosidade que é o lugar onde vivemos, e que devemos, sobretudo, dar muito valor.

O Brasil possui uma enorme diversidade cultural, algo único e privilegiado dentre tantos outros países, refere-se diretamente ao costume de uma sociedade, seja a culinária, a religião, tradição e até o jeito em que as pessoas se vestem, pelo vasto território que possui, o Brasil é uma grande referência no aspecto cultural. Além de uma vasta composição comportamental, o Brasil possui também uma vasta composição ambiental, e apresenta diferentes climas, costumes e até a forma de falar nas diferentes regiões do seu território. Colonizados por um povo europeu, especificamente portugueses que se misturaram alheios aos nossos índios, e mais tarde aos escravos africanos geraram um povo de todo tipo, raça, cor, credo e entre outras. Posteriormente, imigrantes japoneses, italianos, poloneses, alemães, árabes e outros integraram contribuindo ainda mais para consolidação de um povo altamente mestiço, e ajudando também para com a pluralidade cultural do nosso país. Na região nordeste existem diversos tipos de dança e festas comemorativas que se destacam como o bumba meu boi, o maracatu, os caboclinhos, o carnaval, a ciranda, o coco, a marujada, o reisado, o frevo, a cavalhada e a capoeira. Como manifestação religiosas existe a festa de Iemanjá e a lavagem das escadarias do Bonfim. Um movimento literário fortíssimo na região é a própria literatura de Cordel, além disso, o artesanato é fortíssimo e possui diversos pratos típicos como a carne de sol, frutos do mar, buchada de bode, sarapatel, acarajé, vatapá, cururu, canjica, bolo de fubá, pamonha, cocada, tapioca e pé de moleque, são coisas que marcam mais ainda a diversidade de culturas que o Nordeste possui e a importância da sua história para o Brasil. Na região norte a quantidade de eventos culturais é enorme, as duas maiores festas são o Círio de Nazaré, em Belém do Pará; e o Festival de Parintins, a mais conhecida festa do boi-bumbá do país, que ocorre no Amazonas. Elementos culturais fortes são o carimbó, o congo, a folia de reis e a festa do divino, além disso, a influência indígena é fortíssima na culinária, baseada de mandiocas e peixes, outros alimentos típicos são o tucupi, tacacá, jambu e camarão seco, apimentando mais ainda a beleza e a naturalidade dessa importantíssima região em questões culturais. No centro-oeste brasileiro a cultura é bem diversificada, recebendo várias contribuições, que podem ser indígenas, mineiras, gaúchas, bolivianas e até paraguaias. São manifestações culturais típicas: A cavalhada e o fogaréu, em Goiás, o cururu, e como principais exemplos culinários: o arroz com pequi, sopa paraguaia, arroz carreteiro, arroz boliviano, maria-isabel, empadão goiano, pamonha, angu, pacu, dourado, entre outros. O Sudeste possui diversos tipos de festas, como a festa do divino, festejos de páscoa, congada, bumba meu boi, carnaval, peão de boiadeiro, dança de velhos, batuque, samba de lenço, folia de reis e caiapó. A culinária possui diversas opções e com todos os tipos de sabores, são a moqueca capixaba, feijoada, pão de queijo, feijão tropeiro, carne de porco, aipim frito, bolinho de bacalhau, picadinho, virado à paulista, cuscuz paulista, farofa e a pizza, sendo majoritariamente influenciado por escravos, índios, europeus e asiáticos, fazendo com que o Sudeste se torne uma riquíssima região em aspecto cultural e habitacional. A Sul, por fim, apresenta aspectos culturais de diversos imigrantes, dentre eles portugueses, espanhóis, alemães e italianos. As principais festas são: a Festa da Uva, de origem italiana e a Oktoberfest, de origem alemã. Diversos tipos de danças acompanham essa região, e festas como a de Nossa Senhora dos Navegantes, a congada, o boi-de-mamão, a dança de fitas e o boi na vara. Como aspectos culinários se destacam o churrasco, o camarão, o pirão de peixe, o vinho e o chimarrão.

Em relação aos aspectos observados no texto, podemos perceber que, não importa, de norte a sul, de leste a oeste, o nosso país é recheado de surpresas e culturas, nós possuímos uma gama de diversidade religiosa, culinária e até festiva. Em qualquer lugar que seja que você estiver, no Brasil, vai ter uma marca, uma história, uma festa e algo típico e único daquele lugar, não importa qual seja. Nosso país é único, devemos respeitar e acompanhado por um povo que representa, se joga, se emociona e que vive torna da nossa casa um lugar ainda mais especial. Sempre, e sempre, pensais o melhor de alguém, ela vai dar e fazer o seu melhor, e quando se é brasileiro, oferecemos sempre, realmente e exclusivamente o melhor que podemos.