Preparamos esse mês para lembrarmos da história do nosso país. Confira agora como ocorreu e o que levou a proclamação da república no Brasil.

14 abr 2018
Comunicação CI
592
0

A história do nosso país é uma das mais interessantes do mundo, um “descobrimento” acidental ocasionado pela vontade dos portugueses chegarem as Índias, uma falsa guerra entre a colônia e sua metrópole ocasionando sua independência, invasão de vários outros países com o objetivo de explorar o território, além de vários atos revolucionários que ficariam para sempre na história. Tudo isso resume um pouco a vasta história do nosso país, mas isso é só uma pequena e leve introdução sobre a fabulosa cultura brasileira.

O regime monárquico brasileiro foi efêmero, durando apenas 67 anos, muito curto em comparação a outros países. Mas durante esse período ocorreram diversas mudanças no nosso território, o nascimento de um país que no futuro seria um dos maiores do mundo e chamaria a atenção das maiores potencias por suas belezas e recursos naturais.

A proclamação da república foi um ato revolucionário no nosso país, um ato deliberadamente pacífico por não ter havido muitos conflitos e discordâncias. A república foi proclamada em 15 de novembro de 1889, pelo marechal Deodoro da Fonseca, depondo assim o imperador Dom Pedro II, é inegável a influência da industrialização e o crescimento da cafeicultura no país, pois adjunto a outros motivos levaram a esse ato vanguardista.

Outros motivos para a instauração da república foram a crise e o descontentamento da população com o regime monárquico, que ansiavam uma oportunidade de participar da liderança do país. Outro fator essencial foi a censura aos militares que geraram um descontentamento enorme da parte deles, inclusive estes foram os responsáveis por depor o imperador e instaurar a república.

Uma grande conquista para a humanidade ocorrida na época, a abolição da escravatura, foi bastante influente para o fim da república O conjunto dessas transformações ganhou maior força a partir de 1870. Naquele ano, os republicanos se organizaram em um partido e publicaram suas ideias no Manifesto Republicano. Naquela altura, os militares se mobilizaram contra os poderes amplos do imperador e, pouco depois, a Igreja se voltou contra a monarquia depois de ter suas medidas contra a presença de maçons na Igreja anuladas pelos poderes concedidos ao rei.

Diante de todos esses motivos e insatisfações fez-se necessário uma atitude radical. Assim, em novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca deu o golpe militar, tirando o imperador do poder e assumindo como chefe de estado provisório, ao contrário do que se pensava a república não promoveu uma maior participação social na política, pois o poder ainda estava concentrado na mão de um soberano, o presidente. Entretanto existia uma diferença, o presidente não tomava as decisões sozinho, ele necessitava do apoio e aprovação do parlamento, e algumas pessoas poderiam escolher quem seria o presidente, no caso apenas os homens ricos poderiam fazer tal fato. Conforme salientado pelo ministro Aristides Lobo, a proclamação ocorreu às vistas de um povo que assistiu tudo de forma bestializada.