Um dia muitíssimo rico para a ETEPAM e que ficará guardado na mente de cada um que pôde participar

11 maio 2018
Comunicação CI
986
0

Hoje, durante um evento ocorrido no auditório da Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães (ETEPAM), os alunos, professores e as escolas convidadas (Escola Regueira Costa, EREM Nóbrega e EREM Clóvis Beviláqua), tiveram uma oportunidade única e espetacular de conhecer mais sobre o escritor pernambucano Mario Filipe Cavalcanti e Francisco Amâncio, mais conhecido como Maestro do Forró, o projeto “Outras palavras” proporcionou essa ocasião para cada um deles.
Esse projeto tem uma visão muito agradável, ele faz com que as pessoas que participam tenham um contato com a Cultura pernambucana, integrando também educação e cidadania, ele é desenvolvido pela FUNDARPE/SECULT. São várias ações que têm a visão de ampliar e fortalecer o repertório artístico-cultural dos estudantes, através da divulgação das obras dos autores de nossa literatura contemporânea, de patrimônios vivos e da mostra de filmes regionais.
Nascido em 15 de janeiro de 1992, o escritor Mario Filipe Cavalcanti de Souza Santos é um pernambucano arretado, está no seu 9° período de Direito na Faculdade de Direito do Recife, da Universidade Federal de Pernambuco, e estudou piano clássico na Escola de Artes do Recife. Um escritor bastante jovem, mas que é bastante determinado, quando falamos de prêmios, ele é um verdadeiro arraso. Mario já concorreu a vários concursos literários no Brasil, como os de contos da Associação Nacional de Escritores (Brasília/DF, em 2012), de contos “Cidades das Asas” da Secretaria de Cultura do Município de Gavião Peixoto (São Paulo, em 2013), menção sublime no de poesia “VIII Varal de poesia” da Faculdade Metropolitana de Maringá (Paraná, em 2013) e Semifinalista do Prêmio SESC de literatura em 2014. Este é um breve resumo, pois não queremos prolongar muito.
Foram várias conquistas obtidas ao longo de sua vida, mas ainda existe muito a se conquistar. Um jovem sonhador que vem ganhando espaço e que é um de nossos representantes, um importante escritor da literatura pernambucana, um verdadeiro exemplo para cada um de nós, uma inspiração para aqueles que almejam um dia ser escritor de sucesso, representar e enriquecer a cultura brasileira, mais especificamente a peculiaridade e os traços da pernambucana.
O músico, arranjador e compositor Maestro do Forró é filho do famoso José Amâncio do coco, que é cantador de coco de roda. Quando tinha apenas 5 anos ele já tocava sanfona e zabumba, tocava acompanhado de seu pai. Começou a estudar música de maneira formal no ano de 1980, a integrou-se a banda da escola de música Dom Vital. Agregou o Centro de Criatividade Musical do Recife e logo após o Maestro do Forró estudou trompete na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
Ele já viajou para 36 países, como um profissional de música, ele esteve, inclusive, na Europa e América. Esteve responsável pela direção musical de grupos aqui no nosso estado, como por exemplo: o Maracatu Nação Pernambuco, que teve a oportunidade de viajar para a china, e no Mundo Livre S/A.
Maestro do Forró foi o fundador da Escola de Música da Bomba do Hemetério, que se localiza aqui em Pernambuco, em Recife. Em 2002, criou a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério para homenagear o bairro Bomba do Hemetério, em Recife (PE). Em 2007, lançou, em parceria com a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, o CD “Jorrando Cultura”, com um total de 11 músicas, com o objetivo de demonstrar a diversidade cultural de Recife (PE). Apresentou-se com o grupo em programas da televisão aberta, em emissões comandadas por Ana Maria Braga, Regina Casé e sozinho no programa “Altas horas”, da Rede Globo de Televisão.
É com toda certeza um dos nossos maiores representantes, um exemplo plausível de profissional que é de grande valia para a nossa cultura.