Vera Gomes, militante torturada na Ditadura Militar visita ETEPAM

1 jul 2016
Comunicação CI
2713
2

Na última terça-feira os estudantes do 3ª ano de Comunicação Visual receberam a célebre visita da professora Vera Lúcia Gomes. Militante declarada até os dias de hoje, Vera compartilhou com a nova geração de jovens os dilemas e a realidade da juventude dos anos 60.

Descontraída e extremamente simpática, Vera não deixou de destacar a importância dos movimentos sociais de massa dos quais foi ativa participante. Iniciou a sua militância ainda no colegial, aos 16 anos, através de grupos estudantis tomados por sentimentos revolucionários em meio a clima de repressão militar. Lutou por políticas públicas de igualdade racial e  o direto a meia passagem para os estudantes, do qual hoje podemos desfrutar. Por causa de sua luta e coragem, foi presa e torturada duas vezes, acusada de crimes que não cometeu, viveu na rua, se escondeu, mas sobretudo, resistiu a tentativa do então governo totalitário de controlar o pensamento da população.

Entretanto, segundo ela mesma, viveu seus “anos dourados” como todo jovem, com amores, diversão e muito Rolling Stones. Viajou o mundo conciliando a vida pessoal com a política, e hoje deixa o legado de independência e protagonismo para todos que adotam sua memória. Nos deixou com o conselho de, sempre, acima de tudo, não abrir mão do pensamento crítico e lutar pela democracia.

“Meu sonho era que quando eu tivesse a idade que tenho agora, vivesse em um país socialista.

Vera Lúcia Gomes