Visualizando os lados que abrangem o Estado Novo, seria, então, Getúlio Vargas o pai dos pobres ou um dos mais cruéis ditadores de nossa história?

16 abr 2018
Comunicação CI
754
0

Após o início do período em que o Brasil estava, enfim, “independente”, possuímos uma parte da nossa história a qual chamamos de República Velha, ou a famosa República do Café com Leite. A presidência da república como vocês todos sabem, ficou dividida entre os estados que possuíam a hegemonia da época, Minas Gerais e São Paulo. Isso tudo surgiu porque os paulistas eram produtores de café e os mineiros tinham grande foco na produção leiteira, ambos possuindo os produtos que eram primordiais para a ascensão da economia brasileira acabaram por fazer uma aliança que se perpetuou pelo período chamado de República Velha. Durante todo esse primeiro período da República foi marcado por graves e imensas crises políticas e econômicas, a do encilhamento é uma das mais recordadas por ter sido primordial para acirrar a instabilidade geral. Ainda durante esses anos, houveram diversos tipos de revoltas conduzidas pela própria sociedade, algumas são reconhecidas até hoje pelo grande grau de importância. Todas essas revoltas populares refletiam na desorientação do governo, e principalmente, o seu total desinteresse pela população e sociedade das favelas e vielas. Isso contribuiu a originar a Revolta da Chibata, a Revolta dos Tenentes, a Guerra de Canudos, a própria Revolta da Vacina e, sobretudo, se deu no auge do cangaço que trazia uma profunda desorganização para com os maiores coronéis da época. Todos esses eventos acabaram que por ser apaziguados pelo governo central, mas, todas essas revoltas geraram uma dúvida e com o acúmulo de tantas tensões o regime foi pouco a pouco minado e desconstruído, ainda mais por causa da Grande Depressão, que foi repercutida por todo o mundo de uma forma profundamente abrangente. Todos esses fatores, geraram com louvor o Movimento de 1930, que colocou um fim na instabilidade do primeiro período da nossa tão nova República.

 

Ainda em março de 1930 aconteceu a última eleição da República Velha, entre Júlio Prestes que era apoiado abertamente pelo presidente Washington Luís e por mais dezessete estados, contra o famoso Getúlio Vargas que era apoiado até então por apenas três estados. Prestes acabou por ser aclamado e eleito o presidente, mas os perdedores da eleição não aceitaram o resultado de bom grado, assim, ainda em 1930 a revolução era iniciada em outubro quando as tropas revolucionárias marcharam para o Rio de Janeiro, até então capital do país, e no mesmo mês o país sofreu um golpe militar que depôs o presidente Washington Luís, e conduziu o mesmo a logo depois ser exilado em outro país. Júlio Prestes foi impedido de assumir como presidente da república e também foi exilado, e podemos citar algumas das palavras do próprio que podem decifrar a sua visão para com a época, “O que não se compreende é que uma nação, como o Brasil, após mais de um século de vida constitucional e liberalismo, retrogradasse para uma ditadura sem freios e sem limites como essa que nos degrada e enxovalha perante o mundo civilizado”. A Junta Militar Provisória foi formada ainda no mesmo ano, e em 03 de novembro de 1930 concedeu o poder a Getúlio Vargas, dando um fim na República do Café com Leite.

 

O Governo Provisório, como era chamado, teve suas primeiras medidas quando Vargas escolheu os interventores federais para assumirem cada estado, e vale salientar que a maioria de políticos opositores, majoritariamente paulista, foi exilada pelo governo. Com o passar dos anos, São Paulo ainda era o principal estado opositor do Governo Provisório e usou de muitas tentativas para ir contra Vargas. O governo era chamado pelos mesmos de ditadura, e tentava por meio de uma Assembleia Nacional Constituinte derrubar o Governo Provisório, sem tanto sucesso. Estes ainda planejaram uma Revolução para depor Getúlio Vargas, com base na justificativa de que o país precisava urgentemente de uma Constituição Federal. O período de 1930-1934 ainda ficou mais conturbado quando o Estado de Maracaju foi criado e gerou três meses de luta que marcaram a maior Guerra Civil do Brasil em toda a sua história, e com o apoio dos gaúchos e mineiros, a vitória de Getúlio Vargas foi garantido. Finalmente, ainda no ano de 1933, uma nova eleição é feita para uma Assembleia Nacional Constituinte, e em 1934 Getúlio Vargas é eleito presidente da república.

 

Ainda no mesmo ano, o país ganhou uma nova constituição, e o governo constitucional de Getúlio Vargas durou cerca de três anos, até o ano de 1937. Esse período foi marcado por uma profunda conturbação graças a polarização nacional. Com dois lados dividindo profundamente o Brasil, possuíamos em um a esquerda que ganhava cada vez mais força e era refletida no Partido Comunista Brasileiro e na Aliança Nacional Libertadora. Do outro lado, um movimento de direita ganhava mais espaço juntamente com as ideologias fascistas que se propagavam pelo mundo, adotadas principalmente por Alemanha, Itália, Espanha e Portugal, no Brasil, esse movimento ficou conhecido como Integralismo. As articulações revolucionárias estavam a todo vapor e possuíam uma certa influencia da União Soviética. A principal figura do movimento, Luís Carlos Prestes, ficou preso e incomunicável por cerca de oito anos. Enquanto que a sua mulher, Olga Benário, foi julgada pelo Supremo Tribunal Federal, ela era alemã, judia e após o julgamento teve de ser expatriada para a Alemanha Nazista, já que os dois países cultivavam uma relação diplomática amistosa. Olga foi morta durante a Segunda Guerra Mundial em um dos Campos de Concentrações da Alemanha, e foi mais uma vítima do grande genocídio de diversas pessoas da sociedade alemã, além disso, marcou um dos episódios mais vergonhosos da política exterior brasileira. A forte preocupação causada pela polarização política fez com que Getúlio Vargas articulasse de muitíssimas formas uma situação em que fosse propicia para ele declarar um Golpe de Estado, meses antes da eleição que estava marcada para janeiro de 1938. A principal justificativa do golpe foi que os revolucionários planejavam também uma revolução para tomar o poder do Brasil, coincidentemente, esse argumento também foi usado pelos militares no Golpe Militar de 1964.

 

Durante os anos do Regime Político de Getúlio Vargas, o Brasil passou por toda uma situação de censura para com as formas de expressão da arte e a própria mídia e imprensa da época. O DIP, Departamento de Imprensa e Propaganda foi um dos órgãos que cuidou de toda essa parte do Governo de Getúlio Vargas, e tentavam vender a sua figura positiva ao povo a qualquer custo. O Estado Novo também foi um período de grande evolução do nosso país, por ser um momento de industrialização, onde diversos órgãos foram criados, empresas e muitíssimos Ministérios. Além disso, o Governo Vargas foi de suma importância para com o povo por estabilizar a produção de emprego e ser totalmente responsável pelo engrandecimento da aquisição econômica de muitas das famílias. Além de tudo isso, vale salientar que a organização do governo e estabilização do país contribuíram para uma participação positiva do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Enquanto que alguns acreditavam que o Brasil só iria para a guerra quando a cobra fumasse, durante o governo de Getúlio Vargas a Força Expedicionária Brasileira foi criada sob o lema, “A cobra vai fumar”, a garantiu diversas vitórias ao Brasil no exterior. Embora mais próximo das forças do Eixo graças as suas posições ideológicas, a pressão dos Estados Unidos e o ato da Alemanha Nazista contra navios no litoral nordestino do Brasil, gerando mortes entre o próprio exercito brasileiro, culminou no posicionamento do Brasil a favor dos Aliados, ainda mais com o acordo econômico fincado entre Vargas e os Estados Unidos na época. A participação do Brasil contribuiu para o controle dos Aliados por todo o Atlântico Sul, e favoreceu diversas vitórias na própria Itália. Com o fim da guerra, não existiam mais motivos e argumentos que mantivessem Getúlio Vargas na sua posição, com a queda das ideologias nazistas e fascistas, o integralismo também perdeu espaço e Vargas foi forçado a renunciar em 29 de outubro de 1945. E após isso? São histórias que vocês deverão acompanhar e serão escritas nas próximas matérias, fiquem ligados para mais novidades por aí!